31/10/2019 15h59 - Atualizado em 01/11/2019 09h20

Fapes seleciona pesquisadores de todo Brasil para atuarem no Espírito Santo

Edital lançado em parceria com o CNPq concede bolsas de pesquisa para Grande Vitória e interior.


Uma grande oportunidade para pesquisadores doutores, que estejam fora do mercado de trabalho, desenvolverem projetos de pesquisa em território capixaba foi lançada pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes). Estão abertas até o dia 24 de janeiro de 2020 as inscrições para o Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (PDCTR), promovido por meio da parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Os trabalhos serão realizados em instituições de Ensino Superior ou pesquisa, sejam elas públicas ou privadas sem fins lucrativos. Os bolsistas selecionados poderão desenvolver projetos de pesquisa ou inovação em todas as áreas do conhecimento.

Como explica o diretor-presidente da Fapes, Denio Rebello Arantes, os selecionados poderão atuar tanto na Grande Vitória como em outras regiões do Estado. “A parceria entre a Fundação e o CNPq incentiva o desenvolvimento científico em todo território capixaba, já que o edital prevê a contratação de pesquisadores como bolsistas para atuarem em instituições no interior do Estado. Além disso, o programa também torna possível aos doutores com título obtido fora do Espírito Santo que se estabeleçam em instituições da Grande Vitória”, pontuou.

Grande Vitória e interior

O objetivo do PDCTR é estimular a mobilidade e a fixação de pesquisadores em todas as regiões do Estado, fortalecer e diversificar os grupos e linhas de pesquisa, alavancar setores considerados de importância estratégica para o desenvolvimento estadual e diminuir as desigualdades entre as regiões capixabas.

Por isso, a chamada pública está dividida em duas vertentes: a primeira diz respeito à regionalização, voltada a doutores titulados em outros estados ou no exterior para realizarem pesquisas em instituições presentes na Grande Vitória; a outra trata da interiorização, destinada tanto a doutores de outros estados ou países bem como a doutores formados ou radicados no Espírito Santo.

“A interiorização é uma importante ação deste edital devido à oportunidade de desenvolvimento da aptidão científica regional, fortalecendo o desenvolvimento tecnológico, a produção científica e os recursos humanos locais”, considera a diretora técnico-científica da Fapes, Denise Rocco de Sena.

A parceria do CNPq com a Fapes garante a aplicação de R$ 9,1 milhões na chamada pública. Cada proposta selecionada terá de seis a 36 meses para ser executada. Além disso, o edital prevê a possibilidade de solicitar auxílio financeiro para desenvolvimento do projeto vinculado à bolsa, no valor de até R$ 30 mil.

Quem pode?

De acordo com as regras do CNPq, os bolsistas estarão divididos em três níveis de bolsa:

- Pesquisador A
Para quem é doutor há, no mínimo, 10 anos, com experiência comprovada na execução e coordenação de projetos, e na criação e consolidação de grupos de pesquisa. Também é necessário ter publicado trabalhos relevantes, internacional e nacionalmente, além de ter experiência comprovada na formação de mestres ou doutores.

- Pesquisador B
Para quem é doutor há, no mínimo, cinco anos de titulação, com experiência na execução ou coordenação de projetos, além de ter publicações de âmbito nacional ou internacional.

- Pesquisador C
Para quem é doutor com menos de cinco anos de titulação, com experiência
comprovada na execução ou coordenação de projetos e com publicações em âmbito nacional.

SERVIÇO:
Edital Fapes/CNPq nº 11/2019 - Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (PDCTR)
Inscrições até 24 de janeiro
Submissão de propostas pelo SigFapes.


Informações à imprensa:
Assessoria de Comunicação da Fapes
Mike Figueiredo
(27) 3636-1867/99309-7100
comunicacao@fapes.es.gov.br

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard