31/08/2018 17h00 - Atualizado em 19/11/2018 11h32

Mais de R$ 10 milhões para apoiar núcleos científicos e pesquisas no Espírito Santo

Foto: Edson Reis/Secti
Lançamento de editais Fapes/CNPq durante abertura do Fórum Confap Vitória 2018.

Fapes e CNPq lançam editais durante evento nacional das fundações de amparo à pesquisa do País, de 29 a 31 de agosto, em Vitória

Núcleos que produzem ciência no Espírito Santo já podem se organizar para participar das chamadas públicas que destinam mais de R$ 10 milhões em recursos para pesquisas e melhoria da infraestrutura de laboratórios. A Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) lançou quatro editais na solenidade de abertura do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), que começou nessa quarta-feira (29), no auditório do Sebrae, em Vitória.

O evento continua até esta sexta-feira (31). Os editais lançados pela Fapes contemplam apoio a núcleos de pesquisa — sejam de excelência e com parcerias nacionais e internacionais, sejam eles emergentes inclusive em fase implantação — além da organização de novos grupos científicos e da fixação de jovens pesquisadores. Os recursos são frutos da parceria do Governo do Estado, por meio da Fapes, com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Fórum do Confap é realizado periodicamente nos estados e esta é a terceira edição deste ano. Participam do evento presidentes e diretores das 26 Fundações de Amparo à Pesquisa (FAP’s) dos estados brasileiros. “Sem os pesquisadores não teríamos o robusto sistema de apoio à ciência e à tecnologia no Brasil”, destacou o diretor-presidente da Fapes, José Antonio Bof Buffon, que mostrou como os investimentos em ciência e tecnologia são prioridades no Espírito Santo.

Fórum Confap Vitória

Na solenidade de abertura, o secretário de Planejamento, Régis Mattos Teixeira, enfatizou os esforços do Estado para manter as contas em dia. “O Governo, nos últimos quatro anos, destinou para o orçamento do sistema de Ciência e Tecnologia um total de R$ 450 milhões. É um esforço grandioso, e fizemos isso por acreditar que o futuro do Espírito Santo passa pelo investimento nessa área”, declarou.

A parceria com o CNPq garantiu mais esse conjunto de editais, que é o segundo lançado pela Fapes em agosto. “Queremos que nossa produção científica tenha mais impacto e também que esse conhecimento possa chegar à sociedade”, considerou José Ricardo de Santana, diretor de cooperação do CNPq.

A presidente do Confap, Maria Zaira Turchi, iniciou sua fala agradecendo ao Governo do Estado pelo grande investimento à ciência e tecnologia para o desenvolvimento do Espírito Santo.

“O Fórum do Confap tem o papel de pensar o futuro e a continuidade do fomento à ciência no Brasil. Durante esses dias, vamos estabelecer um documento para os governos na defesa de que continuem comprometidos com as Fundações e garantindo recursos, porque temos certeza de que este é o papel desses órgãos e de que não é possível fazer ciência sem investimento de qualidade”, defendeu Zaira Turchi.

Parcerias com pesquisadores europeus

Cientistas capixabas poderão colaborar com pesquisadores e instituições da Europa por meio de parcerias e cooperações científicas. Representantes de programas e entidades apresentaram essas oportunidades no Internationalization Day, o Dia da Internacionalização, realizado nesta quarta-feira (29) em Vitória.

O seminário foi organizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapes) no campus de Goiabeiras da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes).

Os participantes puderam conhecer programas, entidades e redes de colaboração, como Horizonte 2020, ENRICH in Brazil, EURAXESS, Enterprise Europe Network Brazil, Conselho Britânico e Fundo Newton. O seminário está vinculado à programação do Fórum Nacional do Confap.

EDITAIS

- Programa de Apoio a Núcleos Emergentes (Pronem)

O que é?
Apoio a pesquisas de núcleos emergentes do Espírito Santo coordenados, exclusivamente, por pesquisadores bolsistas de produtividade nível 2 do CNPq (PQ ou DT).

Para quem?
O núcleo emergente é um grupo de pesquisa já estabelecido, ou em fase de implantação, liderado por pesquisador doutor bolsista de produtividade do CNPq nível 2 (PQ ou DT). O núcleo deve ser constituído por pelo menos três pesquisadores com linha de pesquisa comum ou complementar.

Quanto?
R$ 4.950.000,00


- Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex)

O que é?
Apoio a pesquisa coordenada exclusivamente por pesquisadores bolsistas de produtividade nível 1 do CNPq (PQ ou DT), com significativa liderança dentro da área de pesquisa, inserção nacional e internacional, e excelência continuada na produção científica e na formação de recursos humanos.

Para quem?
Núcleos de Excelência, que são grupos de pesquisas de alto nível com reconhecida competência e tradição, capazes de funcionar como fonte geradora e transformadora de conhecimento científico-tecnológico para aplicação em projetos de relevância ao desenvolvimento do Espírito Santo. Os núcleos deverão comprovar também o estabelecimento de parcerias nacionais e internacionais.

Quanto?
R$ 3.680.000,00

- Programa de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores/Programa Primeiros Projetos (PPP)

O que é?
Apoio à fixação de jovens pesquisadores e à organização de novos grupos de pesquisa em núcleos em qualquer área do conhecimento. O edital destina recursos para adquirir, instalar, modernizar, ampliar ou recuperar a infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições.

Quanto?
R$ 1.750,000,00

- Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS)

O que é?
Fomento à pesquisa em saúde que promove o desenvolvimento científico e tecnológico, visando a atender as peculiaridades e especificidades de cada estado.

Quanto?
R$ 600 mil.

Tópicos:
Fapes, Confap, Pronem, Pronex, PPP, PPSUS
2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard