30/06/2020 18h39 - Atualizado em 01/07/2020 11h15

2º Seminário de Recuperação do Rio Doce reúne 16 pesquisas apoiadas por Fapes, Fapemig e agências federais

Foto: José Cruz/Agência Brasil
Bento Rodrigues, Mariana (MG), dois anos após rompimento da Barragem de Fundão.

O evento foi transmitido on-line durante os dias 24 e 25 de junho.

Dezesseis pesquisas científicas voltadas à recuperação de áreas atingidas pelo rompimento da barragem de Fundão, em Mariana (MG), estão em andamento e tiveram os resultados parciais apresentados à sociedade nas últimas quarta (24) e quinta-feira (25). O 2º Seminário de Avaliação do Edital de Recuperação do Rio Doce teve transmissão on-line e foi acompanhado por dezenas de participantes, entre pesquisadores, representantes das instituições envolvidas, avaliadores e outros interessados.

Pesquisadores envolvidos em projetos selecionados pelo Edital de Apoio a Redes de Pesquisa para Recuperação da Bacia do Rio Doce mostraram detalhadamente o andamento dos estudos que abordam os impactos dos rejeitos da Samarco na biodiversidade do Rio Doce e na vida das comunidades atingidas.

O diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes), Denio Rebello Arantes, enalteceu o trabalho de todos na busca por respostas bem concretas às consequências do rompimento da barragem. “Neste momento complicado de pandemia, é muito importante a realização de um evento on-line como esse, que colocou todos em contato simultaneamente, sendo um passo importante para que os pesquisadores desenvolvam projetos de forma conjunta e complementar”, afirmou.

As 16 pesquisas foram selecionadas pelo Edital nº 06/2016 - Apoio a Redes de Pesquisa para Recuperação da Bacia do Rio Doce, que disponibiliza um total de R$ 11,25 milhões.

A chamada surgiu da parceria entre a Fapes e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), que ganhou a adesão da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Agência Nacional das Águas (ANA).

O seminário

Na abertura, a diretora Técnico-Científica da Fapes, Denise Rocco de Sena, destacou a importância da chamada pública para o desenvolvimento de pesquisas e capacitação de recursos humanos na recuperação da Bacia Hidrográfica do Rio Doce, visando a estudos e mitigação dos impactos ambientais, sociais e econômicos gerados pelo rompimento da Barragem de Fundão, controlada pela Samarco, em 2015.

“Os resultados alcançados até o momento são muito promissores e podem efetivamente ajudar a comunidade atingida. Por meio da parceria entre instituições de fomento à pesquisa e inovação, foi possível lançar um edital que permitiu o envolvimento de muitos pesquisadores, estudantes de pós-graduação e de sete diferentes instituições de pesquisa na execução dos projetos, que recebem o investimento de mais de R$ 11 milhões”, considerou.

Durante o evento, os avaliadores convidados fizeram observações, sugestões e questionamentos aos coordenadores, que tiveram a oportunidade de esclarecer todas as dúvidas. Participaram como avaliadores Fabricio Cardoso de Mello, Márcio Fronza, Alessandro Coutinho Ramos, Marlon Carlos Franca, Roberto Avelino Cecílio, Danilo de Lima Camelo, Fabio Pires e Teresa Cristina da Silva.

“O nível dos trabalhos apresentados está fantástico e nem poderíamos esperar nada diferente diante do conjunto de pesquisadores que estão envolvidos. São especialistas e expoentes das áreas em que atuam”, concluiu o diretor-presidente da Fapes, Denio Arantes.


Pesquisas apresentadas

- Sem o rio e sem o mar: implementação de tecnologia social de governança participativa para políticas públicas de recuperação da Bacia do Rio Doce no Espírito Santo.
Coordenador: Adrian Gurza Lavalle - Universidade de São Paulo (USP)

- Estudo de genética da conservação de espécies animais bioindicadoras da recuperação ecológica na Bacia do Rio Doce.
Coordenador: Fabricio Rodrigues dos Santos - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

- Recuperação dos habitats da mata ciliar e aquático da bacia do Rio Doce.
Coordenador: Carlos Frankl Sperber - Universidade Federal de Viçosa (UFV)

- Plantas medicinais e úteis da Bacia do Rio Doce.
Coordenador: Alberto José Cavalheiro - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho/Araraquara (Unesp/Arar)

- Contribuição para a recuperação da biota aquática do baixo Rio Doce.
Coordenador: Levy De Carvalho Gomes - Universidade Vila Velha (UVV)

- Impactos associados à lama de rejeito nos habitats marinhos e estuarinos da foz do Rio Doce: uma visão geológica, física, química e biológica.
Coordenador: Alex Cardoso Bastos - Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

- Localização ótima de zonas de vegetação para a recuperação da bacia do Rio Doce.
Coordenador: Carlos Antonio Alvares Soares Ribeiro - Universidade Federal de Viçosa (UFV)

- Potencial de diversas espécies vegetais visando ao repovoamento da Região da Bacia Hidrográfica do Rio Doce.
Coordenador: Moacir Pasqual - Universidade Federal de Lavras (Ufla)

- Uma Infraestrutura de e-Science voltada à Gestão da Qualidade de Água na Bacia do Rio Doce.
Coordenador: Joao Paulo Andrade Almeida - Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

- Rede Candongas: Aplicação de tecnologias desenvolvidas e estudos de viabilidade técnica e econômica para a transformação e valoração dos rejeitos dragados da barragem de Candongas (Transformando o desastre do Rio Doce em oportunidades locais).
Coordenador: Rochel Montero Lago - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

- Restauração com ciência do Rio Doce: da dimensão edáfica ao sensoriamento remoto.
Coordenador: Geraldo Wilson Afonso Fernandes - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

- Rede de estudo, desenvolvimento e aplicação de tecnologias baseadas em nanomateriais sustentáveis para a recuperação das águas da Bacia do Rio Doce.
Coordenador: Ruben Dario Sinisterra Millan - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

- Impactos dos rejeitos de minério da Samarco na biogeoquímica do solo, na biodiversidade e no funcionamento de ecossistemas na Foz do Rio Doce.
Coordenador: Angelo Fraga Bernardino - Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes)

- Tecnossolos do rejeito de mineração de ferro da barragem de Fundão - Mariana (MG): Caracterização espectral, diagnóstico e modelos de recuperação edafo-ambiental.
Coordenador: Carlos Ernesto Goncalves Reynaud Schaefer - Universidade Federal de Viçosa (UFV)

- Remediação da Bacia do Rio Doce: potencial da biota aquática e terrestre.
Coordenador: Queila de Souza Garcia - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

- Potencial de recuperação da qualidade da água, sedimentos e da riqueza de espécies e biodiversidade de áreas prioritárias da bacia do Rio Doce, em Minas Gerais: uma ação integrada.
Coordenador: Francisco Antonio Rodrigues Barbosa - Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)


Informações à imprensa:
Assessoria de Comunicação/Fapes
Mike Figueiredo / Jair Oliveira
(27)3636-1867 / 99309-7100
comunicacao@fapes.es.gov.br

2015 / Desenvolvido pelo PRODEST utilizando o software livre Orchard